19 de setembro de 2010

Despertador

O vazio que vibra na minha garganta
sorrindo as corrosões da ausência
faz a minha cama grande como a segunda ensolarada
que sem epica ou romantismo
enche meu dia com milhões de tarefas
sem nenhum lirismo.

2 comentários:

al disse...

Excelente!!!... ;)

sindro disse...

Oi gostei do seu blog, visite o meu de textos pessoais, espero que goste, obrigado.

.