Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2010

Cidade de Deus

E onde estão as palavras para costurar
os membros dilacerados do menino
nos assistindo por cima da estante
coberto de dúvidas e de sombras
de brevidade...


A rosa apodrece partida
o silêncio se faz soberano
engolido de má vontade,
desigual e sem água
o silêncio impermeável
concreto-de-asfalto-obstrução-de-infinitos.