3 de agosto de 2008

N de nada

Se se a luz do sol se fragmenta em suas cores
e quebram
em cristais de gelo coloridos
caindo revoltosos
no fundo escuro em ausência
pregado no reflexo momentâneo
por trás da cortina do mundo
vejo você a mim
vejo
(não vejo)
você
(não vejo)
a mim
(não vejo)
nada.

Se se a luz do sol se fragmenta em suas cores
e quebram
em cristais de gelo coloridos
somos o gelo nos cristais, ardendo doloridos..

4 comentários:

instantes e momentos disse...

...somos o gelo nos cristais, ardendo coloridos...
parabens pelo teu blog.
Tudo muito bom.
Parabens. Vai virar mania voltar aqui.
Uma bela noite pra vc,
Maurizio

Confraria do Grito disse...

Se a luz bate e refrata e reflete, cores mil e imagens distorcidas, não ver pode ser melhor que ver, ou uma outra forma de visão.

Bjo

Narradora disse...

Eu estava com saudades dos seus textos.
Ardendo é verdade, mas cristais e coloridos.
Beijos.

O Profeta disse...

Ai quem me dera agitar o tempo
Atirar a mágoa à voragem da noite
Arrancar as raízes ao pensamento
Sentir a paz que uma lagoa acolhe


Boa férias


Mágico beijo

.