Enquanto minha mão tremer

Enquanto minha mão tremer...
e arrastar lapsos em colapsos
construir fins de mundos sem rastros
chover desertos em oásis...
...

Enquanto minha mão tremer...
e quebrar em mar raivoso o horizonte
tingir vermelho o céu defronte
cantar sinfonias em agudo dó...

...

Enquanto arranha o quadro-negro em meu ouvido
arranca sangue, quadro-alma, com som frio
enquanto isso, sangue-tinta, vermelho,vivo
brota dor, brota conforto

se treme, escribo.

Comentários

As oito disse…
joao luiz? me enganei de blog? espero que não...hehehe
mas não importa de onde vem, o que me marcam são sempre as palavras, que me despertam um potencial criativo sem igual...

abraços saudosos
O Profeta disse…
De pequena poça fiz um universo
Feito de sete estrelas do mar
Murmurou-me um búzio ao ouvido
O rumo para te encontrar


Bom fim de semana



Mágico beijo
Narradora disse…
Como sempre, muito bonito. Gosto de jeito que escreve.

"Construir fins de mundos sem rastros"

Eu deixo rastros...rs
Bjs
O Profeta disse…
Hoje o Mar adormeceu na Aurora
O dia desponta em doce calmaria
Um barco cede ao embalo do vento
Uma gaivota na escarpa o ninho vigia

Hoje o Sol pintou de luz o verde
As hortênsias são nuvens na terra
Plantadas por um deus romântico
No sortilégio que esta ilha encerra


Boa semana



Mágico beijo
Yvinin disse…
Uau!
Ganhou mais uma leitora! ^^

Beijão!

Postagens mais visitadas deste blog

Cidade de Deus

Circunstancial