Dialético

13:57

Que te importa
que eu tropece, que bata
os punhos na porta
que exporta, que expurga
ladainha negra, lodosa
que te importa,que te importa
se tuas classicas teorias claras
na sua cabeça sem vida
expliquem o que não me implica.
Batem no meu peito protegido de loucura
e se quebram na mais vã...
e se quebram e não mais vão...

Não aparece o que em mim perece
parece... só que padece.

Você pode gostar também:

6 comentários