Escrevo?

Escrevo?
Duvido.
Arranho as costas da alma
tiro sangue a unha
beijo as feridas abertas
e deixo as marcas de sangue no papel.

Escrevo?
Duvido.
Não consigo esconder a vida
que pula nas minhas enxaquecas
e me faz tremer de prazer
no negro, no ócio, no nada.

Escrevo.
Duvido?
Meu mundo é quadrado, branco
e pequeno meu infinito
de combinações no meu
.

Comentários

felinea disse…
Escreve, sim. E bem demais.
Sem dúvida. Tuas palavras são lindas. Todas elas.
Narradora disse…
Escreve, e ainda bem que escreve, pois gosto muito de lê-la.
Bjs
Cecília Borges disse…
duvidar sempre para não acabar a vontade de passear na alma.
um bj!
As oito disse…
oi tatiiii, obrigada por ter lido meu blog, ou melhor, nosso, é das minhas amigas tbm...
eu ñ sei adicionar nos favoritos ;/
me ensina? tem uns blogs q eu kero adicionar, incluindo o seu...
aliás...continua escrevendo, ta lindo, amiga

bjos saudades
Kamikaze Kiwi disse…
OW num vem com onda naum, tu manda bem pra caramba!! Tá escrevendo demais, muito mesmo!!!
Fantástico.

É um bem necessário buscar suas palavras e saber que ainda escreve! E COMO escreve! ;)
Taty-chan disse…
Como é que a gente se esquece da gente, Natan?

Postagens mais visitadas deste blog

Cidade de Deus

Circunstancial