Des...abafo

Que Clarice me embale num berço de imagens claras
e Bandeira me distraia com a musica presa no novelozinho
para cá, para lá...

Que Drummond me presenteie com o elefante
E Graciliano encha de poeira o meu chão vazio.
porque hoje não sou nada

hoje não sou nada
hoje não sou nada pra sempre

amanhã terei morrido...
(Então há esperança?)

Comentários

Lívia García disse…
Seus escritos surtem efeito como canções de ninar, que embalam, distraem, e quando acaba, a concentração quebra e vem aquela sensação "de novo!!".
Também já não tenho mais desculpa de não visitar ;)
Narradora disse…
Lindo o texto e excelente a sua companhia no des..abafo (Graciliano, Clarice, Bandeira, Drummond).
E quanto a espernça, você sabe.
Bjs
felinea disse…
a esperança? logo ali. é só abrir a porta. :))

lindos lindos teus textos!
Cecília Borges disse…
Esses nossos guias.
Não poderiam ser melhores!
Um bj!!
Alexandre disse…
muito tri!
muito try taty...
tudo que li
esperança?
é assim.
como teus poemas.
enfim...
escolhi este aqui.

:)

beijo.

Postagens mais visitadas deste blog

Cidade de Deus

Circunstancial